Arte e Cultura na Capital Verde Europeia

11 de abril, 10h-13h30
Polo Cultural Gaivotas | Boavista
Acesso gratuito (limite de 30 participantes), com inscrição prévia.
Inscrições abertas

Cada vez mais a arte e cultura se posicionam como elementares para uma sociedade mais sustentável. Enquanto nos deparamos com grandes desafios ambientais, e enquanto Lisboa se prepara para ser a Capital Verde Europeia em 2020, é necessário criar espaços e condições que possibilitem o cruzamento e as simbioses entre as ciências ligadas ao ambiente e as artes do espetáculo, atingindo amplas camadas de público. Pretende-se com este programa capacitar, inspirar e fomentar a criação de trabalhos e eventos artísticos que caminhem no sentido de sensibilizar, informar e mobilizar a população para um futuro mais sustentável.

Maria João Rodrigues obteve pelo Instituto Superior Técnico os graus de Licenciada em Engenharia Mecânica (ramo de Termodinâmica Aplicada); Mestre em Engenharia e Gestão de Tecnologia; e Doutora em Engenharia e Gestão Industrial (com estadia no Department of Public Policy de Carnegie Mellon University). Detendo uma carreira diversificada na área das energias renováveis e eficiência energética, em âmbito e em funções, foi colaboradora da Agência de Inovação, da IrRadiare, da De Viris e da WIN ENERGY; Presidente da APISOLAR, Associação Portuguesa da Indústria Solar e consultora externa da ADENE, Agência de Energia de Portugal. Foi fundadora das empresas wee-solutions e green egg. Atualmente é Diretora Técnica e Financeira da Lisboa E-Nova e membro do Conselho Científico do Centre for Innovation, Technology and Policy Research, do Instituto Superior Técnico.

Diana Henriques é licenciada em Engenharia do Ambiente na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, completou o Mestrado em Ecologia Humana e Problemas Sociais Contemporâneos na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da UNL. Colaborou com a empresa Ydreams e no ramo da investigação com o Grupo de Análises e Sistemas Ambientais (FCT-UNL), o Instituto Geográfico Português, estagiando também na Vrije Universiteit e na empresa Geodan (Holanda) e tendo trabalhado com o GEOTA. Desde 2010 é gestora de projetos na área de Educação para Desenvolvimento Sustentável, Biodiversidade e Economia Circular, bem como no campo da participação pública e alteração comportamental. Coordena Projetos como Escola+ Eficiente (Promoção de Eficiência Energética em Escolas de 1º CEB), Aquametragem, Coopetir no Bairro da Boavista e CEMOWAS2 – Gestão circular ecossistémica dos serviços de resíduos orgânicos e águas residuais.

Consulte o programa completo do PISTA.