Gestão de Organizações Culturais

Sorry, this entry is only available in European Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

20 fevereiro 2020, 10h-13h30
Polo Cultural das Gaivotas
Acesso gratuito (limite de 30 participantes), mediante inscrição prévia.
Inscrições fechadas 

Gestão de organizações culturais: Regulamento interno, plano e relatório de atividades

Esta acção de formação visa dotar os participantes de conhecimentos para implementar práticas e modelos de diagnóstico sobre a gestão de organizações de natureza associativa ou empresarial – analisar e formular a estratégia, os objectivos e os seus resultados.
Os participantes adquirem competências para compreender e ser capaz de lidar com aspectos básicos do planeamento estratégico e operacional – construir um plano e um relatório de actividades.
Visa ainda analisar um modelo de regulamento interno na mesma linha de orientação.
A formação é essencialmente prática, mas alternaremos momentos de exposição e de aplicação prática dos instrumentos facilitadores da tomada de decisão nestas matérias.
Esta formação destina-se a artistas e outros profissionais que queiram constituir – ou tenham já constituído – organizações de natureza associativa ou empresarial e a dirigentes dessas organizações

Conteúdos
1. Saber realizar análises de contexto e diagnóstico das organizações
2. Saber planear
3. Saber construir objectivos e indicadores
4. Saber trabalhar processos de decisão participativa e métodos de trabalho de grupo
5. Saber comunicar a estratégia e missão da organização

Formador

Paula Hipólito, licenciada em Direito com formação especializada em gestão estratégica e marketing público.
Atualmente gestora de atendimento e de conteúdos na Loja Lisboa Cultura/Polo Cultural Gaivotas | Boavista, da Câmara Municipal de Lisboa.
Foi gestora pública durante 25 anos, dos quais 9 anos na Inspeção Geral das Atividades Culturais, com delegação de competências na gestão estratégica, inovação e comunicação, com conhecimentos profundos no sector cultural, sobretudo no que respeita à gestão do regime de espectáculos de natureza artística, protecção do direito de autor e dos direitos conexos e registo de profissionais do sector artístico e do audiovisual, tendo colaborado na redacção dos diplomas associados às matérias referidas. Foi ainda dirigente associativa da “Academia das Artes dos Açores”.