Portas abertas: MINA, Carlota Lagido

30 de maio, 19h
Espaço Alkantara
Entrada livre

MINA é um projeto de experimentação que pretende estender a prática performativa no âmbito da dança contemporânea a outras disciplinas que fazem parte do lexico artístico e vivencial de Carlota Lagido mas que não são o seu instrumento principal – desenho, vídeo/imagem em movimento, fotografia, música, culinária, ornitologia e botânica. Tem como base a ideia de uma performance-palestra que aconteceu em 2011 na EIRA – Ciclo Eira #01 .
O projecto está dividido em fases distintas com uma continuidade programática ao longo de um ano – pesquisa, experimentação e prática – que serão concretizadas através de residências artísticas, atividades pedagógicas, conversas, exposições, performances-palestra, ensaios e espetáculo – MINA01,MINA02,MINA03, MINA.

-#READMORE#-

” Interessa-me trabalhar com mulheres, artistas e não-artistas e utilizar o processo de criação como uma possível plataforma de ativismo feminista, interessa-me fazer um espetáculo-manifesto para a abolição do patriarcado. Nesse sentido, MINA é um projeto que se envolve assumidamente em questões feministas, é um projeto com e sobre mulheres. Algumas dessas mulheres viveram épocas diferentes. Algumas lidaram com os conflitos de desigualdade de género específicos de cada época, muitos ainda presente hoje, algumas revolucionaram o mundo e muitas delas foram suprimidas da história. Elas não estarão presentes agora, mas as suas presenças fantasmáticas sim, através do seu pensamento, dos seus percursos de vida, profissionais e artísticos que serão absorvidos no estudo deste processo.

As outras são de agora, são pessoas cujo trabalho e forma de ver o mundo me interessa e admiro. Interessa perceber, quais os pontos em que nos identificamos e tocamos, nos diferentes contextos da vida com essas mulheres-fantasma.
Terei como interlocutoras/performers/ colaboradoras e fantasmas convidadas – Joana Castro, Xana Novais, Joana Levi, Aurora Pinho Francisca Manuel, Shahd Wadi, Elizabete Francisca, Thamiris Carvalho, Mónica Calle, Filipa Valladares, (e uma botânica e uma ornitóloga que ainda procuro) e os fantasmas de outras- Artemisa Gentileschi, Simona Kossak, Frida Kahlo, Aurélia de Souza, Maria Bandeira, Anna Atkins, Hildergard de Binden, Mina, entre muitas outras que surgirão durante o processo de pesquisa.
Alguns dos assuntos a explorar nesta experimentação incidem principalmente naquilo que cada uma das convidadas observa/pensa/sente/atua ( pretérito, presente e futuro) e na sua relação com a atualidade distópica mundial, em todos os contextos -políticos, sociais, ecológicos, relacionais, afetivos- e a forma como isso atua no seu trabalho ou vida e como isso retorna e rebate nos outros e no mundo, e também no cruzamento e apropriação das experiências de vida das outras mulheres- (fantasmas) que também participam neste estudo.”

Carlota Lagido

Ficha Técnica

Concepção criação e direção artística Carlota Lagido
Consultoria Filipa Valadares, Shahd Wadi, Botanica e ornitóloga a convidar
Interpretação Aurora Pinho, Carlota Lagido,Elizabete Francisca, Francisca Manuel, Joana Castro, Joana Levi, Mónica Calle, Shahd Wadi, Thamiris Carvalho, Xana Novais
Design de cena Carlota Lagido
Video Carlota Lagido Francisca Manuel Luz Mafalda Soares de Oliveira
Fotografia de Cena Joana Linda
Produção O Lugar do Meio/Carlota Lagido
Co-Produção EIRA/Cumplicidades Apoio PI- Produções Independentes – Bolsa Self Mistake, Programa de Residências Artísticas Alkantara