Residência Artística - Previsão do Tempo ©Triunfo - Adriano Filipe

Portas Abertas: Previsão do Tempo de Daniel Pizamiglio e Romain Beltrão Teule

19 de junho, 21h
Espaço Alkantara
Entrada Livre

Nas três primeiras semanas do mês o estúdio do Espaço Alkantara é ocupado por Daniel Pizamiglio e Romain Beltrão Teule, para a última residência de Previsão do Tempo. A 19 junho abrimos portas para partilhar materiais.

Duas pessoas frente ao desconhecido.
Duas pessoas procurando, nas suas memórias, os seus futuros. (Prevendo? Não prevendo?)
Duas pessoas procurando, criando situações impossíveis. Situações contraditórias, transitórias. Espaços intermediários. Duas pessoas dialogando, lembrando-se que foram crianças. Que são crianças.
Duas memórias que se lembram. Ouvindo outras memórias e outras vozes, se lembram.
Duas pessoas que não são só duas pessoas.
Eu sou uma pessoa, eu sou ninguém.
“My name is Nobody” = “Mon nom est Personne”. Personne (em francês) é pessoa e personne (em francês) é ninguém.
Uma tela é alguém, uma tela é ninguém.
E essa cadeira, quem é?
É ninguém.
E tu?
Eu sou cadeira. E tu és mesa.
E onde estamos?
Estamos várias pessoas num espaço. Um espaço de várias coisas-pessoas, várias pessoas-coisas. E as coisas são pessoas procurando, são coisas nas suas memórias, nas suas situações impossíveis, contraditórias, intermediárias.

Previsão do Tempo é um ensaio sobre o passar do tempo, sobre deixar o desconhecido entrar nas nossas vidas. A peça é um paradoxo, um espaço onde cada medo e incompreensão se transforma em jogo lúdico, quase infantil.

Ficha Técnica
Criação e Interpretação Daniel Pizamiglio & Romain Beltrão Teule
Apoio Dramatúrgico / Olhar Exterior  Paula Caspão
Co-Produção Alkantara, PAD – pépinière artistique daviers, Supercabras
Apoio à Produção Associação Parasita
Apoios Rua das Gaivotas 6, Cão Solteiro, Estúdio Victor Córdon, Galpão da Cena Itapipoca, Centro Cultural Belchior
Notas Biográficas

Daniel Pizamiglio (brasileiro, radicado em Lisboa), em 2009 começa a estudar o sistema de improvisação e composição em tempo real desenvolvido pelo coreógrafo João Fiadeiro, vindo depois a trabalhar como seu assistente em workshops e na peça “O que fazer daqui para trás” (2015), onde também foi performer. Em 2016 conclui o PEPCC do Fórum Dança. Como autor, destacam-se as performances “Dupla Ameaça” (2016) com Inês Cartaxo; o solo “Dança Concreta” (2016) e o duo “Do desconcerto, por um lado / Da aventura, por outro” com Carlos Manuel Oliveira (2017). Como bailarino destaca a participação nas peças “Projecto Continuado” (2015) e “Companhia” (2018) de João dos Santos Martins. Trabalhou também com Cláudia Dias, Ana Rita Teodoro, Tamara Cubas, Rita Barbosa, Alex Cassal, Gustavo Ciríaco e Luis Garay.

Romain Beltrão Teule nasceu em Paris, de mãe brasileira e pai francês. Desde criança que fala português e francês. Romain é diplomado em Design e Arte nas escolas de Belas Artes de Toulouse e Nantes. Em 2013 muda-se para Lisboa e para tirar o PEPCC do Forum Dança. Apaixona-se por um Britânico e aprende a falar inglês. A partir do encontro com Patricia Portela, Romain passa a assumir a expressão oral e as línguas como lugar de pesquisa e cria a peça “Elisabeth”, performance em francês, português e inglês. Em 2016, como objetivo de mergulhar numa língua desconhecida, passa um tempo no Japão e recolhe uma coleção de sons com a quais cria a peça “Légende”, uma conferência que trata da pesquisa ficcional sobre a língua dos pássaros. “Légende” é apresentada no “Be Festival 2017” em Birmingham e participa na difusão “Best of Be Festival UK 2018”. Romain escreve também performances em duo. “A vertigem”, com Lucie Lintanf e “Previsão do Tempo” com Daniel Pizamiglio.