Quarta-Feira: Fazer acontecer + Metamorfosis

10 maio, 15h — Sessão Escolas
11 maio, 21h — Sessão público geral
Teatro Estúdio António Assunção, Almada

Quarta-Feira: Fazer acontecer é uma performance criada e interpretada pelos alunos da turma 9º – 5 da Escola Secundária Fernão Mendes Pinto, no contexto do projeto Sete Anos Sete Escolas.

Tendo como ponto de partida o espectáculo Quarta-Feira: O tempo das cerejas de Cláudia Dias e Igor Gandra – a terceira peça do projeto Sete Anos Sete Peças – os alunos trabalharam texto, coreografia e cenografia para criar a sua própria versão do trabalho, ao longo de oficinas de criação desenvolvidas pela coreógrafa Cláudia Dias e o actor Karas, durante o ano lectivo 2018-2019.

Partindo da biografia de cada um, os alunos/artistas criaram um texto onde se projectam linhas do seu passado e do presente, bem como as suas dúvidas e desejos para o futuro.

Este trabalho pertence a estes jovens e a todos aqueles que enfrentam a linha que separa a adolescência da idade adulta.

Quarta-Feira: Fazer acontecer contou com o apoio incondicional dos professores Cristina Azevedo e Gabriel Mithá da Escola Secundária Fernão Mendes Pinto.

A apresentação da peça será precedida pela exibição de Metamorfosis – um documentário sobre a criação da peça Quarta – Feira: Fazer acontecer realizado pelos alunos da E.S.Francisco Simões com o apoio do professor Américo Jones.

Sete Anos Sete Escolas é um programa satélite do projeto de criação Sete Anos Sete Peças de Cláudia Dias, que tem como objectivo o desenvolvimento de competências pessoais, de fruição e criação artísticas de jovens entre os 15 e os 20 anos, e a introdução de práticas artísticas no contexto da escola. O projecto, que se estende também a duas escolas no Porto (Escola Profissional do Porto e Escola Profissional do Centro Juvenil de Campanhã), sob a orientação de Igor Gandra, pretende afirmar que todos os cidadãos têm direito à experiência da criação e não apenas à fruição cultural.

Ficha Técnica
Quarta-Feira: Fazer acontecer

Criação e interpretação: Alexandre Machado, Alexandre Fernandes, Beatriz Santos, Bruna Cruz, Fábio Martinho, Geovana Cruz, Hugo Pinto, Laiza Ismael, Marcos Rodrigues, Oleksandr Ukhach, Rafaela Costa, Ricardo Silva, Tarcila Ismael, Thatylla Castro e Tifany Ismael — alunos do 9º 5 – E.S.Fernão Mendes Pinto (Almada).
Coordenação e direcção pedagógico-artística: Cláudia Dias e Karas
Direcção técnica: Nuno Borda de Água
Música: Vai – Vado Más Ki Ás
Texto, espaço cénico e figurinos: Criação colectiva dos alunos
Fotografia e Vídeo: Daniel Carqueija, Diogo Ribeiro, Jessica Fragoso, Rafaela Caiola e Tiago Valente
Professores de Apoio: Cristina Azevedo e Gabriel Mithá – E. S. Fernão Mendes Pinto / Américo Jones – E. S. Francisco Simões (Almada)
Coordenação e Produção: Alkantara
Coordenação para a Área Social: Carlota Quintão, Luísa Veloso e Mafalda Gomes – A3S
Apoio: Escola Secundária Fernão Mendes Pinto, Escola Secundária Francisco Simões, Teatro Extremo
Agradecimentos: Ana Pina; Augusta Delgado; Andreia Garrido; Cristina Silva

O projecto Sete Anos Sete Escolas conta com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian no quadro do Programa Partis – Práticas Artísticas para a Inclusão Social, e com uma rede de parceiros alargada dos quais se destacam O Teatro de Ferro e a Câmara Municipal de Almada.