Ir para o conteúdo

Conteúdo principal

ALKANARA - Cherish Menzo - ©Bas De Brouwe
@ Bas De Brouwe

Cherish Menzo

Jezebel

  • 13.11 — 15.11 2021
  • Espetáculos
  • Conversas
  • CCB - Black box
  • M/12
  • 60 min

Uma mulher assume-se como protagonista de um universo musical controlado por homens, o hip hop, para desconstruir estereótipos.


Nos videoclips de hip hop popularizados na MTV entre os anos 90 e início dos anos 2000, mulheres com casacos de pele e unhas postiças veneram os rappers. Apelidadas de vídeo vixens, hip hop honeys ou Jezebels (em referência à figura bíblica sinónimo de sedução e desejo), a imagem destas mulheres hiper sexualizadas perpetuou durante décadas estereótipos associados às mulheres Negras.


A Jezebel de Cherish Menzo recusa limitar-se ao papel que lhe foi atribuído. Jezebel desacelera a batida do hip hop, apropria-se das suas imagens e das suas letras, para se redefinir.


No dia 15 de novembro, o espetáculo será seguido de uma conversa com Cherish Menzo e a rapper Chong Kwong, moderada pela jornalista e ativista cultural Carla Fernandes. A conversa decorerá em inglês.

Ficha Artística

Conceito, coreografia e performance Cherish Menzo Desenho de luz e Coordenação técnica Niels Runderkamp Música Michael Nunes Vídeo Andrea Casetti Figurinos Daniel Smedeman Dramaturgia Renée Copraij Olhar exterior Berthe Spoelstra, Christian Yav, Nicole Geertruida Treino vocal Shari Kok-Sey-Tjong Campanha Tatchatrin Choeychom Tradução Joana Frazão Coprodução Frascati Productions Gestão de produção Bibi Scholten van Aschat Distribuição de gestão de digressão GRIP Gestão GRIP e Frascati Productions Com o apoio de Amsterdam Fonds voor de Kunst Agradecimentos Benjamin Kahn, Centre Chorégraphique Le Château

Nota biográfica

Cherish Menzo (1988, Holanda) é uma performer e coreógrafa. Em 2013 completa a sua formação na Universidade de Arte de Amesterdão (Dança Urbana Contemporânea). Trabalhou desde então com Eszter Salamon, Akram Khan, Leo Lerus, Hanzel Nezza, Olivier Dubois, Benjamin Kahn, Lisbeth Gruwez, Jan Martens e Nicole Beutler. Jezebel é o seu primeiro trabalho a solo.

Voltar ao inicio
This website is using cookies to provide a good browsing experience

These include essential cookies that are necessary for the operation of the site, as well as others that are used only for anonymous statistical purposes, for comfort settings or to display personalized content. You can decide for yourself which categories you want to allow. Please note that based on your settings, not all functions of the website may be available.

This website is using cookies to provide a good browsing experience

These include essential cookies that are necessary for the operation of the site, as well as others that are used only for anonymous statistical purposes, for comfort settings or to display personalized content. You can decide for yourself which categories you want to allow. Please note that based on your settings, not all functions of the website may be available.

Your cookie preferences have been saved.