Ir para o conteúdo

Conteúdo principal

ALKANARA - Coreografia - ©Raquel Balsa
@ Raquel Balsa

Coreografia

João dos Santos Martins

  • 27.04 — 30.04 2021
  • Artistas em residência

Apresentado no Alkantara Festival 2020 e coproduzido pelo Alkantara, Coreografia de João dos Santos Martins integra a programação da Plataforma Portuguesa da Artes Performativas, que acontece este ano nas plataformas online. Regressa ao estúdio do Espaço Alkantara para uns dias de ensaio, para preparar uma nova gravação do espetáculo.

Numa conferência-performance intitulada Salário Máximo, apresentada na Assembleia da República Portuguesa, em Lisboa, em 2014, Vera Mantero dizia que a dança lhe parecia a arte menos apropriada para falar do que quer que fosse. Segundo a artista, seria mais simples veicular uma ideia concreta no cinema ou na literatura. Esta afirmação sustenta uma ideia comum de que a dança não pode falar, sendo, no entanto, uma metáfora para o pensamento. O aparente conflito que aqui se espoleta aponta para a relação entre política e poética, que poderia ser expresso na dicotomia entre escrita de texto — permeável à tradução — e composição de gestos, acções e movimentos.

Tal como imaginada por Raoul Feuillet no seu tratado do século XVIII, a dança seria primeiro redigida em papel, através do sistema de notação por si criado, e só depois interpretada e transposta para o corpo. Existia uma verdadeira separação entre uma idealização, escrita como lei, e uma realidade dançada, fruto de uma prática, no chão. O processo de transmissão seria como “dançar” uma língua e “falar” uma dança, um processo em que texto e corpo interagem numa lógica de negociação entre expressão e comunicação.

João dos Santos Martins, julho de 2020

Coreografia João dos Santos Martins Interpretação Adriano Vicente Música e interpretação ao vivo João Barradas Texto José Maria Vieira Mendes Texto em LGP Sofia Fernandes Luz Filipe Pereira Figurino Constança Entrudo Produção Sofia Matos/Materiais Diversos Produção executiva Claraluz Keiser/Associação Parasita e Association Mi-mai Coprodução Alkantara, Associação Parasita, Centro Cultural Vila Flor, Materiais Diversos Residências artísticas Alkantara, Centro Cultural Malaposta, Estúdios Victor Córdon, 23 Milhas - Ílhavo Agradecimentos Sandra Gorete Coelho

Materiais Diversos, Associação Parasita e Alkantara são financiadas por República Portuguesa | Cultura-Direção Geral das Artes.

Artigos relacionados:

Voltar ao inicio
This website is using cookies to provide a good browsing experience

These include essential cookies that are necessary for the operation of the site, as well as others that are used only for anonymous statistical purposes, for comfort settings or to display personalized content. You can decide for yourself which categories you want to allow. Please note that based on your settings, not all functions of the website may be available.

This website is using cookies to provide a good browsing experience

These include essential cookies that are necessary for the operation of the site, as well as others that are used only for anonymous statistical purposes, for comfort settings or to display personalized content. You can decide for yourself which categories you want to allow. Please note that based on your settings, not all functions of the website may be available.

Your cookie preferences have been saved.