Open Call: Nós Aqui Neste Passinho by Michelle Moura e Sara Anjo

Michelle Moura and Sara Anjo are seeking 8 performers who identify as women to workshop their choreographic project, Nós aqui neste passinho. They are interested in performers who are experiencing transitions (country, maternity, gender, profession, or others) and resistance in their lives. The workshop will take place at Estúdios Victor Cordon and in public spaces in Lisbon. All participants will receive a meal allowance.

How are we choreographed by political and social changes? How are we choreographed by geography, by culture, and by public space? What actions generate change, freedom, or create new realities? During the workshop we will explore notions of collectivity, autonomy, occupation of public space, and proximity to the audience.

Nós aqui neste passinho is a choreographic project that began in 2018 with a workshop during Festival Fiar in Palmela. It continues now in collaboration with Beatriz Dias, Clarissa Rego, Louisa Cascon, Nina Botkay, and 8 guest performers.

Date and time

September 18-27 (Monday to Friday, 10 am to 2 pm)
Location: Estúdios Vítor Cordon and public spaces in Lisbon
* Public showing on September 26 at 1 pm (location TBA)

Please send a short CV and cover letter describing how you understand resistance today and how resistance occurs in your life to nosaquinessepasso@gmail.com

Deadline 11 September 2019

Results 13 September 2019

Coproduced by Alkantara, with additional funding from the Embassy of Austria and Républica Portuguesa-Cultura/Direção-Geral das Artes.

Sobre as artistas

Michelle Moura é coreógrafa e bailarina brasileira, vive em Berlim. Em suas criações interessa-se por criar modos de gerar mudanças psico-físicas como em FOLE (2013) e BLINK mini uníssono intenso lamúrio (2015). Sua mais recente criação é E nquanto Somos Humanos (2019), em colaboração com Maikon K. Suas obras foram apresentadas em festivais internacionais de dança na América do Sul e Europa, incluindo o Impulstanz (Viena), Panorama Festival (Rio de Janeiro) e HAU – Hebbel am Ufer (Berlin). Como intérprete, trabalhou com Vincent Dupont (FR), Raphaëlle Latini|Groupe Entorse (FR), WilhelmGroener (DE), Dani Lima (BR) e Alex Cassal (PT). Fez seus estudos de dança no Programa Essais, CNDC d’Angers | FR (2010) e Das Choreography (2015), Amsterdão .

 

Sara Anjo bailarina e coreógrafa, interessa-se por práticas meditativas que geram mudanças psico-físicas, sendo a respiração e a acção de caminhar as principais. Questiona-se permanentemente acerca do que nos move? Como nos movemos? E para onde nos movemos? No seu trabalho coreográfico interessa-se por desenvolver teatro sónico, explorando a coreografia e o espaço performativo na sua dimensão sonora. Criou “Ninguém Sabia Contar Aquela História”, um espectáculo feminista em colaboração com 6 artistas (BoxNova CCB 2011); “Paisagens Líquidas”, uma dança que viaja pelo Lavadouro Público de Carnide (Teatro do Silêncio 2012); “Em Forma de Árvore”, um solo sobre in-quietude (Negócio-ZDB 2016); “Sacro”, uma caminhada magnética (Negócio-ZDB 2018). Desde 2012 participa no projecto “Caminhar” do Teatro do Silêncio. Formou-se em dança pela Academia de Dança Contemporânea (2001) e tem mestrado em coreografia pela Das Graduate School de Amesterdão (2016).

 

18 a 27 de Setembro
Estúdios Vítor Cordon e em espaços públicos da cidade de Lisboa.
Apresentação pública 26 de setembro, 13h, local a definir

Michelle Moura e Sara Anjo realizarão a segunda etapa do projeto coreográfico “Nós aqui neste passinho”. Procuram 8 performers/ bailarinas que se identificam como mulheres, que se encontrem em fase de transição (país, maternidade, gênero, profissão e outros) e que se encontrem num momento de resistência.

De que forma somos coreografadas por mudanças políticas e sociais? De que forma somos coreografadas pela geografia do território, pela sua cultura e pelos seus espaços públicos? Que ações geram mudança, libertam e criam novas realidades?
Durante o workshop iremos explorar noções de colectividade, de autonomia, de ocupação do espaço público e de proximidade com espectador.

“Nós aqui neste passinho” é um projecto de criação coreográfica que começou em 2018 com um Workshop no Festival Fiar em Palmela. Continua agora em colaboração com Beatriz Dias, Clarissa Rego, Luisa Cascon, Nina Botkay e mais 8 performers/bailarinas convidadas.

Horários

18 a 27 de Setembro 2019, de 2ª a 6ª, 10h – 14h
Nos Estúdios Vítor Cordon e em espaços públicos da cidade de Lisboa.
Dia 26 de Setembro, às 13h, haverá uma apresentação pública do trabalho desenvolvido durante o workshop em local a ser definido.

Como submeter a candidatura

Envio de biografa e carta de intenção onde devem descrever, “o que é resistência hoje? De que forma a resistência ocorre nas suas vidas?” para o email nosaquinessepasso@gmail.com

Prazo de inscrição  11 de Setembro 2019

Resultados 13 de Setembro 2019

Uma ajuda de custo será dada às participantes.

Sobre as artistas

Michelle Moura é coreógrafa e bailarina brasileira, vive em Berlim. Em suas criações interessa-se por criar modos de gerar mudanças psico-físicas como em FOLE (2013) e BLINK mini uníssono intenso lamúrio (2015). Sua mais recente criação é E nquanto Somos Humanos (2019), em colaboração com Maikon K. Suas obras foram apresentadas em festivais internacionais de dança na América do Sul e Europa, incluindo o Impulstanz (Viena), Panorama Festival (Rio de Janeiro) e HAU – Hebbel am Ufer (Berlin). Como intérprete, trabalhou com Vincent Dupont (FR), Raphaëlle Latini|Groupe Entorse (FR), WilhelmGroener (DE), Dani Lima (BR) e Alex Cassal (PT). Fez seus estudos de dança no Programa Essais, CNDC d’Angers | FR (2010) e Das Choreography (2015), Amsterdão .

 

Sara Anjo bailarina e coreógrafa, interessa-se por práticas meditativas que geram mudanças psico-físicas, sendo a respiração e a acção de caminhar as principais. Questiona-se permanentemente acerca do que nos move? Como nos movemos? E para onde nos movemos? No seu trabalho coreográfico interessa-se por desenvolver teatro sónico, explorando a coreografia e o espaço performativo na sua dimensão sonora. Criou “Ninguém Sabia Contar Aquela História”, um espectáculo feminista em colaboração com 6 artistas (BoxNova CCB 2011); “Paisagens Líquidas”, uma dança que viaja pelo Lavadouro Público de Carnide (Teatro do Silêncio 2012); “Em Forma de Árvore”, um solo sobre in-quietude (Negócio-ZDB 2016); “Sacro”, uma caminhada magnética (Negócio-ZDB 2018). Desde 2012 participa no projecto “Caminhar” do Teatro do Silêncio. Formou-se em dança pela Academia de Dança Contemporânea (2001) e tem mestrado em coreografia pela Das Graduate School de Amesterdão (2016).