Ir para o conteúdo

Conteúdo principal

Jaha Koo

Cuckoo

ALKANARA - Fotografia com fundo escuro. Homem asiático de meia idade com óculos, cabelos pretos e liso, veste uma camisa preta, está posicionado ao lado direito da foto, segura uma máquina elétrica de cozer arroz de cor branca, na altura da barriga, com a mão direita na parte superior e a mão esquerda na parte inferior olhando para a máquina. - ©Radovan Dranga
@ Radovan Dranga
  • 12.11 — 14.11 2022
  • Espetáculos
  • CCB - Blackbox
  • classificação etária a definir
  • 60 min
  • em Coreano e Inglês, legendado em português

Uma viagem pelos últimos vinte anos da história coreana contada por tagarelas máquinas de cozer arroz.

Para Jaha Koo, como para muitas pessoas sul-coreanas da sua geração, a entrada na idade adulta foi marcada pela crise financeira do final dos anos 90. Comparável com o que se viveu em Portugal e outros países Europeus em 2008, a crise financeira tornou mais visível problemas como o desemprego jovem e a desigualdade social.

A partir de Amsterdão, Jaha Koo testemunhou o aumento das taxas de suicídio, o grave afastamento social e a obsessão com a aparência pessoal que assolava colegas em Seul. No seu quarto de estudante, quando a sua Cuckoo (famosa marca coreana de máquinas de cozer arroz) tocava uma pequena melodia para o informar que o arroz estava pronto, também ele sentia um profundo isolamento.

Em diálogos agridoces e humorísticos, intercalados por momentos musicais, Jaha Koo e as suas inteligentes máquinas de cozer arroz levam-nos numa viagem pelos últimos vinte anos da história coreana, entre experiências pessoais, acontecimentos políticos e reflexões sobre a felicidade, crises económicas e a morte.

Ficha Artística

Conceito, direção, texto, música, vídeo Jaha Koo Intérpretes Hana, Duri, Seri & Jaha Koo Pirataria das cuckoos Idella Craddock Cenografia, operação de média Eunkyung Jeong Tradução (PT) Joana Frazão Aconselhamento dramatúrgico Dries Douibi Produção Kunstenwerkplaats Pianofabriek Coprodução Festival Bâtard Apoio CAMPO, STUK, BUDA, DAS, SFAC & Noorderzon / Grand Theatre Groningen Estreia Steirischer Herbst (AT, 2017) Financiado por Vlaamse Gemeenschapscommissie

Jaha Koo

Jaha Koo (n. 1984) é um fazedor de teatro/performance e compositor musical sul-coreano. A sua prática artística oscila entre o multimédia e a performance, incluindo sempre a sua própria música, vídeo, texto e instalação. As suas performances estão estreitamente interligadas com a política, a história e as suas próprias questões pessoais. Desde 2014, Koo tem vindo a trabalhar na sua Trilogia Hamartia. Esta trilogia temática centra-se no modo como o passado inescapável afecta tragicamente as nossas vidas hoje. A primeira parte da trilogia, Lolling and...

Voltar ao inicio
This website is using cookies to provide a good browsing experience

These include essential cookies that are necessary for the operation of the site, as well as others that are used only for anonymous statistical purposes, for comfort settings or to display personalized content. You can decide for yourself which categories you want to allow. Please note that based on your settings, not all functions of the website may be available.

This website is using cookies to provide a good browsing experience

These include essential cookies that are necessary for the operation of the site, as well as others that are used only for anonymous statistical purposes, for comfort settings or to display personalized content. You can decide for yourself which categories you want to allow. Please note that based on your settings, not all functions of the website may be available.

Your cookie preferences have been saved.