sete anos sete livros

Sete Anos Sete Livros é um projeto editorial que consiste na publicação dos textos escritos para as peças criadas por Cláudia Dias e artistas convidados, destacando-os da sua tessitura teatral. Pretende-se, com esse gesto, dar maior visibilidade ao texto, inserindo-o num contexto de menor efemeridade do que aquele que as artes performativas proporcionam. Pretende-se, de igual forma, afirmar que a dança contemporânea é ela própria lugar de produção literária.

Este projeto tem vários obreiros. Desde logo, os criadores dos textos que são os próprios performers. O ilustrador António Jorge Gonçalves possibilita novos enquadramentos e significados ao texto, e Jorge Louraço Figueira, que tem a responsabilidade de escrever o posfácio de cada livro. A produção dos livros conta com o apoio do Teatro Nacional D. Maria II.

Segunda-Feira
Terça-Feira
Quarta-Feira
Notas Biográficas

António Jorge Gonçalves, nasceu em Lisboa. Licenciou-se em Design Gráfico pela Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa (1989) e fez o Mestrado em Theatre Design na Slade School of Fine Art em Londres (1999) onde foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian. Leccionou no IADE,  RESTART e Universidade Nova de Lisboa. O seu trabalho abrange desenho, fotografia, música e arte pública. A narração por imagens é o seu território favorito: desde 78 que publica banda desenhada em jornais, revistas e fanzines em Portugal, Espanha, França e Itália.

Jorge Louraço Figueira, estudou dramaturgia com Antonio Mercado e Sanchis Sinisterra. Escreveu Roda do Mosteiro Velho (2014), Cassandra de Balaclava (2013), Xmas qd Kiseres (2002) e O Espantalho Teso (2000), entre outras peças. No Teatrão (Coimbra), encenou Conta-me Como É (2014), com textos de Jorge Palinhos, Sandra Pinheiro e Pedro Marques. No Brasil, trabalhou com os encenadores Marco Antonio Rodrigues e Cibele Forjaz, entre outros, e escreveu Verás que tudo é verdade, sobre o Folias (SP). É docente da ESMAE, crítico do Público e doutorando na Universidade de Coimbra (com bolsa da FCT).