Ir para o conteúdo

Conteúdo principal

ALKANARA - Portas Abertas: As canções que cantamos contra os muros que limpamos - ©Ana Soares
@ Ana Soares

Portas Abertas: As canções que cantamos contra os muros que limpamos

Catarina Vieira, Aixa Figini e Josefa Pereira

  • 13.09 — 19.09 2021
  • Eventos Públicos
  • Portas Abertas
  • Espaço Alkantara - 19H
  • Entrada livre

No mês de setembro o Espaço Alkantara recebe Catarina Vieira, Aixa Figini e Josefa Pereira com o projeto "As canções que cantamos contra os muros que limpamos", uma criação para o espaço público, em torno da figura de um coro de mulheres. Dia 19 de setembro abrimos portas para partilha do processo.

"As canções que cantamos contra os muros que limpamos", parte do interesse em explorar o potencial estético e político em torno da figura do coro – um coletivo de vozes que negoceiam o seu anonimato e singularidade no esforço de suster juntas uma harmonia efémera. Interessa também a relação entre voz, corpo e fragilidade. O que é uma voz vulnerável? Pode a vulnerabilidade contaminar?

Se, como disse a Audre Lorde, “your silence will not protect you”, então talvez seja melhor cantar. Desafiar a imposição desse silêncio em conjunto, com canções vindas de uma necessidade urgente de nomear o que nos incomoda, o que nos move. Este é um gesto artístico feminista, que pretende criar um espaço coletivo de escuta e de sintonização com as vozes, as emoções, as biografias de cada mulher que se apresentar. Que repertório de canções traz cada uma? Canções de esconjuro, de reclamação, de ira, de transformação. Qual é o repertório coletivo que o nosso encontro pode gerar? Que palavras podemos criar juntas? Que melodias se inscrevem nas diferentes partes do nosso corpo? Como podemos movê-las para que comecem finalmente a falar e a cantar? As melodias que se pegam ao ouvido e que vão tecendo as redes invisíveis que precisamos de construir.

Uma parte importante deste projeto é o envolvimento da comunidade na criação do espetáculo. As participantes dos workshops integrarão o espetáculo e serão co-autoras do material criado. Nos workshops são feitos levantamentos, através de práticas de movimento, de canto e de escrita, das palavras silenciadas, transformando-as em canções, em gesto. O trabalho é feito exclusivamente com pessoas que se identifiquem com o género feminino, porque estas vozes têm séculos de silenciamento. Cada encontro com um coletivo de mulheres diferente irá produzir ainda um reportório musical único, que será editado publicado na plataforma online Bandcamp, como um álbum/compilação das diferentes canções produzidas em cada workshop.

Ficha artística

Direção Artística Catarina Vieira Direção Musical Aixa Figini Co-criação Catarina Vieira, Aixa Figini e Josefa Pereira Documentação e edição do arquivo sonoro Artur Pispalhas Apoio Financeiro República Portuguesa - Cultura I DGARTES – Direção-Geral das Artes Co-produção Linha de Fuga, Alkantara Residências artísticas Alkantara, Centro Cultural da Malaposta, Musibéria, Espaço da Penha | O Rumo do Fumo

Artigos relacionados:

Voltar ao inicio
This website is using cookies to provide a good browsing experience

These include essential cookies that are necessary for the operation of the site, as well as others that are used only for anonymous statistical purposes, for comfort settings or to display personalized content. You can decide for yourself which categories you want to allow. Please note that based on your settings, not all functions of the website may be available.

This website is using cookies to provide a good browsing experience

These include essential cookies that are necessary for the operation of the site, as well as others that are used only for anonymous statistical purposes, for comfort settings or to display personalized content. You can decide for yourself which categories you want to allow. Please note that based on your settings, not all functions of the website may be available.

Your cookie preferences have been saved.