Ir para o conteúdo

Conteúdo principal

ALKANARA - Ana Rita Teodoro - ©Ana Rita Teodoro
@ Ana Rita Teodoro

Ana Rita Teodoro

Leitura de Seres Vegetais [Terra Batida]

  • 20.11 2020
  • Estreia absoluta
  • Teatro São Luiz - Sala Bernardo Sassetti
  • entrada livre
  • mediante levantamento de bilhetes
  • M/12
  • 90 min
  • em português

"Dreams often fail for lack of inspired interpreters."* (Yemisi Aribisala)

Para onde escoa o encantamento da terra e da paisagem? Onde se fixou a imagem do deserto? Tendemos para uma visão opaca e monocultural? Onde se religa alimento e afeto? É preciso contar outras histórias, é preciso deixar outros seres falarem.

Leitura de seres vegetais: oráculos para o reencantamento da terra é uma proposta em forma de oráculo, onde uma pergunta lhe é colocada. O objetivo não se concentra na adivinhação do futuro, mas na observação atenta da soberania do ser vegetal, que é a sua forma, cor, textura, sabor, cheiro... Procurando por via da conversa e da especulação colectiva resgatar do vegetal, possíveis respostas ou novas perspetivas às nossas perguntas.

A proposta enquadra-se num processo maior de pesquisa, experimentação e conexão a decorrer na continuação da rede Terra Batida — uma rede de pessoas, práticas e saberes em disputa com formas de violência ecológica e políticas de abandono — e que resultará numa peça performativa em 2021. Dentro deste projeto, Ana Rita Teodoro participou numa residência em torno das questões da “terra” no Baixo Alentejo (Ourique, Mértola e Castro Verde). Todos os eventos do Terra Batida no Alkantara Festival são de entrada livre.

O seu foco de interesse situa-se na degradação dos afetos, humanos e não-humanos, associados à paisagem e cultura alentejana. Uma degradação que encontra causa (entre outras) na descaracterização da paisagem alentejana e da sua diversidade pela propagação de monoculturas intensivas e super intensivas - paisagens puramente económicas que beneficiam apenas alguns poucos-ricos.

A partilha desta pesquisa será seguida de uma conversa com a investigadora Teresa Castro, em torno da vegetalidade e alimentação.

* "Os sonhos falham frequentemente por falta de interpretes com inspiração"

De e com Ana Rita Teodoro Conversa com Teresa Castro Colaboração artística Alina Ruiz Folini

Ana Rita Teodoro é coreógrafa e artista pluridisciplinar. A base do seu trabalho repousa na ideia de uma “Anatomia Delirante”, que procura extrapolar temporalidades, matérias, texturas, formas, cores, temperaturas e funções do corpo humano convencionado. Criou as peças MelTe, Orifice Paradis, Sonho d’Intestino, Palco, Assombro, Fofo, a conferência-dançada Your Teacher, please. Em contexto pedagógico criou as conferências 1- Le corps e 2 –Petite histoire de l'imaginaire corporel para o público infanto-juvenil. Colabora com diferentes artistas em projetos pontuais na área da dança, da performance e da música. Foi artista associada ao CND (Centre National de la Danse, Pantin-França) entre 2017-2019. É artista membro da Associação Parasita.

Teresa Castro é professora associada em teoria das imagens no departamento de estudos cinematográficos da Université Sorbonne Nouvelle - Paris 3. Foi investigadora no museu do quai Branly, em Paris, e no Instituto de História da Ciência Max Planck, em Berlim. Uma parte importante da sua pesquisa recente tem-se concentrado sobre as relações entre cinema e animismo, tema sobre o qual se encontra a terminar uma monografia. No âmbito desta investigação, interessou-se em particular pela questão das formas de vida vegetais, tendo publicado “Queer Botanics” (MAL A Journal of Sexuality and Erotics, 2019) e “The Mediated Plant” (E-flux journal, Setembro 2019) e coordenado, com Perig Pitrou e Marie Rebecchi, o livro Puissances du végétal et cinéma animiste. La vitalité révélée par la technique (Presses du Réel, no prelo).

Alina Ruiz Folini é artista e pesquisadora nascida em Argentina. Seu trabalho move-se entre a coreografia, a dança e as práticas curatoriais. Se interessa pela colaboração em contextos de pesquisa artística e concebe a coreografia como um marco a partir do qual se podem desnaturalizar experiências normativas e provocar transformações. Mestre em Prática Cénica e Cultura Visual do Museu Nacional de Arte Reina Sofía - Madrid. Dirige Arqueologías do Futuro - Encontro de Performance e Saberes em Buenos Aires. Cria as peças RUÍDO ROSA e AS MÃOS, esta última parte de Projeto TÁCTIL co-criado com Leticia Skrycky (UY). É bailarina em Trilogia Antropofágica e em Série Canibal dirigidas por Tamara Cubas (UY). Vive em Lisboa.

Ana Rita Teodoro

Ana Rita Teodoro. Barreiro, 1982. É coreógrafa e bailarina. Mestra em Dança, Criação e Performance pelo CNDC de Angers/Paris 8 (França), desenvolveu como pesquisa a criação de uma Anatomia Delirante. Estudou práticas de anatomia experiencial no c.e.m. (Lisboa) e butô com diferentes artistas na Alemanha, França e Japão. É, desde 2017, artista associada do Centre National de la Danse (Pantin, França).

Artigos relacionados:

Voltar ao inicio
This website is using cookies to provide a good browsing experience

These include essential cookies that are necessary for the operation of the site, as well as others that are used only for anonymous statistical purposes, for comfort settings or to display personalized content. You can decide for yourself which categories you want to allow. Please note that based on your settings, not all functions of the website may be available.

This website is using cookies to provide a good browsing experience

These include essential cookies that are necessary for the operation of the site, as well as others that are used only for anonymous statistical purposes, for comfort settings or to display personalized content. You can decide for yourself which categories you want to allow. Please note that based on your settings, not all functions of the website may be available.

Your cookie preferences have been saved.